Coronavírus Atualização das referências e procedimentos em relação ao COVID 19

em News
Acessos: 104

 

Diante da Emergência em Saúde Pública de Importância Nacional (ESPIN) por doença respiratória causada pelo novo coronavírus (2019-nCoV), é importante que os serviços de saúde e seus trabalhadores, as equipes de vigilância dos estados e municípios fiquem alerta aos casos de pessoas com sintomatologia respiratória e que apresentam histórico de viagens para áreas de transmissão local nos últimos 14 dias.

O atendimento a pessoas com suspeita de infecção pelo COVID-19 deve seguir o Procedimento Operacional Padronizado (POP) preconizado pelo Ministério da Saúde. Considerando-se as recomendações da Organização Mundial de Saúde (OMS), profissionais de saúde devem utilizar medidas de precaução padrão, de contato e de gotículas, e para algumas situações, medidas de precaução por aerossóis. As formas de transmissão do COVID 19 são semelhantes à da gripe. 


Casos suspeitos

Para um correto manejo clínico desde o contato inicial com os serviços de saúde, é preciso considerar e diferenciar cada caso. As definições operacionais estão descritas no Protocolo de Manejo Clínico para o coronavírus (2019-nCoV).

Definições importantes para casos suspeitos:

Situação 1: Febre E pelo menos um sinal ou sintoma respiratório (tosse, dificuldade para respirar, batimento das asas nasais entre outros) E histórico de viagem para área com transmissão local, de acordo com a OMS, nos últimos 14 dias anteriores ao aparecimento dos sinais ou sintomas; OU

Situação 2: Febre E pelo menos um sinal ou sintoma respiratório (tosse, dificuldade para respirar, batimento das asas nasais entre outros) E histórico de contato próximo de caso suspeito para o coronavírus (2019-nCoV), nos últimos 14 dias anteriores ao aparecimento dos sinais ou sintomas; OU

Situação 3: Febre OU pelo menos um sinal ou sintoma respiratório (tosse, dificuldade para respirar, batimento das asas nasais entre outros) E contato próximo de caso confirmado de coronavírus (2019-nCoV) em laboratório, nos últimos 14 dias anteriores ao aparecimento dos sinais ou sintomas.

Informações importantes

– Não existe necessidade de paramentação fora do ambiente hospitalar. 

– Os atendimentos nas UBS devem ser realizados com máscara cirúrgica, exceto se for colher material de orofaringe (necessário máscara N95).

– Não existe necessidade de uso de máscara cirúrgica fora do serviço de saúde.

As  orientações, conforme cada etapa de atendimento, também estão descritas no  Boletim Epidemiológico 03no tópico Medidas de prevenção e controle para atendimento de casos suspeitos ou confirmados.

 

 As informações estão sendo atualizadas pelo Ministério da Saúde no endereço – https://www.saude.gov.br/saude-de-a-z/coronavirus

 

Fonte: Assessoria de Comunicação do Conasems.