Evento Web referente à Covid-19, Influenza e Meningite Meningocócica

por malucosems
em News
Acessos: 202


O combate ao avanço do novo Coronavírus no interior do Amazonas está extremamente difícil por causa da falta de comunicação entre os governos estadual e federal e os municípios. O problema foi apresentado pelos gestores municipais de Saúde durante reunião virtual organizada pelo Conselho de Secretários Municipais de Saúde do Amazonas (COSEMS-AM), na noite dessa quinta-feira (07/05).

O encontro também contou com a participação de membros do Ministério Público do Estado do Amazonas, da deputada estadual Mayara Pinheiro e de um representante da Associação Amazonense dos Municípios (AAM). A pauta central da reunião virtual foi o avanço da pandemia da COVID-19 no interior do estado.

“Até o momento, ainda não fomos procurados por nenhuma esfera governamental, seja federal ou estadual, para debatermos políticas públicas de saúde efetivas no combate à pandemia. Hoje, os municípios figuram apenas como ouvintes, sem nenhuma participação nas discussões e tomada de decisões”, afirmou o presidente do COSEMS-AM e secretário de Saúde de Tapauá, Januário Neto.

Quando os primeiros casos da COVID-19 começaram a ser identificados no Amazonas, segundo Januário Neto, todos os municípios elaboraram seus próprios planos de ação, levando em consideração as peculiaridades e particularidades de cada localidade. “Esses planos foram entregues à Secretaria de Estado de Saúde do Amazonas (SUSAM) e até hoje não recebemos qualquer retorno”, informou.

Para a vice-presidente do COSEMS-AM e secretária de Saúde de Tefé, Maria Adriana Moreira, a situação dos municípios estaria bem diferente se os governos federal e estadual estivessem abertos ao diálogo desde o início da pandemia. “Acredito que, se houvesse troca de informações desde o início, hoje teríamos, pelo menos, o direcionamento de ações no interior do estado”, afirmou.

Segundo Adriana Moreira, os municípios estão enfrentando extrema dificuldade para executar tarefas essenciais como a compra de medicamentos, insumos e equipamentos. “Contamos com a boa vontade e atenção do secretário executivo adjunto de Atenção Especializada ao Interior da SUSAM, Cássio Roberto Espírito Santo, que nos ajuda sempre que possível, mas falta essa comunicação mais efetiva com o Governo do Estado, o que é fundamental nesse momento de crise”, comentou a vice-presidente, colocação endossada por todos os secretários de saúde.

Durante a reunião, a deputada estadual Mayara Pinheiro, que também é presidente da Comissão de Saúde da Assembleia Legislativa do Estado do Amazonas (ALEAM), revelou que o próprio poder legislativo não teve acesso às informações referentes ao plano de ação do Governo do Estado.

“O ministro da Saúde, Nelson Teich, esteve em Manaus recentemente, fez visitas de vistoria nas unidades de saúde e elogiou o Governo do Amazonas por ter sido um dos primeiros no Brasil a elaborar um planejamento estratégico de combate à doença. Mas até agora não sabemos quais as ações e nem como serão executadas. Estou muito preocupada com o interior, pois ainda há muita subnotificação”, declarou.

Após ouvir a exposição dos membros do COSEMS-AM, a procuradora-geral de Justiça do Amazonas, Leda Mara Nascimento Albuquerque, considerou “inacreditável que se estabeleça um plano de contingenciamento para o estado sem que ouvir os municípios. Isso é muito grave. São problemas estruturais e orgânicos que vão impactar com o agravamento da situação”.

Leda Albuquerque colocou o Ministério Público à disposição para ajudar os secretários municipais de Saúde na luta contra a pandemia no interior. “Peço que cada município oficialize em documento a atual situação para sabermos quais as dificuldades enfrentadas e como poderemos ajudar”, orientou.

CONVITE

A secretária de Estado de Saúde do Amazonas, Simone Papaiz, por duas vezes foi convidada a participar da reunião via ofício enviado pelo COSEMS-AM. Na primeira ocasião, por conta da visita do ministro da Saúde a Manaus, a secretária informou que estaria impossibilitada de participar e sugeriu o adiamento da reunião. “Acatamos a sugestão e adiamos a reunião porque entendemos que a visita do ministro Nelson Teich traria novidades para o Amazonas”, lembrou Januário Neto.

A reunião virtual foi remarcada, então, de segunda-feira (04/05) para quinta-feira (07/05), mas logo pela manhã o presidente do COSEMS-AM recebeu ofício da Secretaria de Estado de Saúde informando novamente da impossibilidade de participação da secretária Simone Paiz por conflito de agenda. O ofício também sugeria uma nova data e que a reunião fosse organizada pela SUSAM com convidados previamente autorizados pelo órgão.

“Decidimos fazer a reunião assim mesmo, na quinta-feira, pois todas as entidades convidadas (Ministério Público, ALEAM, AAM) já haviam confirmado participação e entendemos que neste momento a discussão tem que ser plural, com a participação de todos. Além disso, estamos sentindo que a situação no interior está rumando para o caos e quanto mais tempo levarmos para tomar decisões, mais vidas estarão em risco de morte”, justificou Januário Neto.

O conteúdo da reunião será apresentado à população e órgãos competentes em forma de “Manifesto Pela Vida no Interior” com todos os gargalos enfrentados pelos municípios neste momento: Desorganização sistêmica e realização de ações isoladas; Insuficiência de recursos humanos; Escassez de insumos, medicamentos e EPIs; Logística; Sobrecarga no sistema de saúde do interior.

 

 

 

Fonte: Assessoria de Comunicação do Cosems-AM.