Última semana para inscrição do Prêmio Nacional CFO de Saúde Bucal 2019

por Comunicação Cosems-AM
em News
Acessos: 222

 

 



Falta apenas uma semana para o fim das inscrições do Prêmio Nacional CFO de Saúde Bucal 2019. O prêmio que reconhece e valoriza municípios brasileiros que se destacaram na implantação e efetivação das políticas públicas de saúde bucal finaliza as inscrições na próxima quinta-feira, dia 22 de agosto.

Para garantir a participação os municípios devem encaminhar um ofício para o Conselho Regional de Odontologia (CRO), no estado, com o assunto “Prêmio Nacional CFO de Saúde Bucal 2019”, conforme prevê a Resolução 205/2019. A solicitação da inscrição deverá ser feita junto com a documentação exigida que comprove as ações do município em prol da saúde bucal.

A primeira colocação das categorias recebe uma cadeira odontológica, com mochos e equipo para acionamento e controle de seringas tríplice, micromotores e turbinas; suctor para coleta de dejetos através de cuspideira/sugadores e refletor odontológico. Os municípios classificados do segundo ao quinto lugar receberão placas alusivas e os demais inscritos receberão certificado de participação.

Pela primeira vez, municípios com até 20 mil habitantes das regiões Norte, Nordeste, Centro-Oeste, Sudeste e Sul concorrem entre si para premiação de cadeiras odontológicas com equipo por meio do Prêmio Nacional CFO de Saúde Bucal. As novas categorias populacionais ganharam destaque como forma de priorizar o atendimento de qualidade nas regiões mais carentes e com acesso limitado à saúde bucal.

Neste ano serão nove grupos para concorrer: (I) municípios com até 20.000 habitantes das regiões Norte, Nordeste, Centro-Oeste, Sudeste e Sul, contabilizando cinco grupos; (II) municípios entre 20.001 e 50.000 habitantes; (III) municípios entre 50.001 e 100.000 habitantes; (IV) municípios entre 100.001 e 500.000 habitantes e (V) os municípios com mais de 500.000 habitantes – que inclui o Distrito Federal.

Sobre o prêmio

O prêmio foi instituído há 14 anos pelo Conselho Federal de Odontologia (CFO) para homenagear, anualmente, os municípios que mais investiram na implantação e efetivação de políticas públicas de saúde bucal.

Em 2018, o prêmio foi reformulado por meio da Resolução CFO 191/2018 e passou a se denominar “Prêmio Nacional CFO de Saúde Bucal”. Neste ano, a premiação está prevista para acontecer no último trimestre e busca ampliar, ainda mais, o número de municípios participantes.

 

Fonte: Assessoria de Comunicação do CFO.

 

COSEMS-AM RECEBE VISITA DE AUDITORES DO TCE E FIRMA PARCERIA

por Comunicação Cosems-AM
em News
Acessos: 203

 


 

Na manhã desta quinta feira (15), Raquel Cézar Machado e Rodrigo Valadão De Souza, ambos auditores externos do Tribunal de Contas do Estado – TCE, conheceram a sede do Cosems-AM.

Rodrigo e Raquel fazem parte de um novo departamento do TCE que tratará especificamente sobre a Saúde do Estado do Amazonas.  Durante a visita, os auditores reuniram-se com o Presidente do Conselho, Januário Neto e com os Apoiadores Regionais.

A pauta do encontro foi a notificação dos municípios em relação aos instrumentos de planejamento, além de demonstrar as dificuldades que os gestores sofrem para que sejam lançados os dados nos sistemas de informação SargSUS e DigiSUS. Também foram elucidados todos os casos específicos, e atualizados os dados aos representantes do tribunal em relação aos municípios e seus respectivos instrumentos de planejamento.

O COSEMS-AM vai disponibilizar um treinamento nas ferramentas para os auditores e será criada uma nota conjunta entre o TCE e o COSEMS-AM referente à questão de informação de dados no Sistema.

Fonte: Assessoria de Comunicação do Cosems-AM.

 

ATENÇÃO

por Comunicação Cosems-AM
em News
Acessos: 157

 


 

Fonte: Assessoria de Comunicação da FIOCRUZ.

 

16° Conferência Nacional de Saúde destaca o tema “Democracia e Saúde”

por Comunicação Cosems-AM
em News
Acessos: 218

Convidados da cerimônia de abertura enfatizaram os princípios do Sistema Único de Saúde e a necessidade da revogação da EC 95

A abertura da 16° Conferência Nacional de Saúde aconteceu neste domingo (04), o evento seguiu até o dia 7 de agosto, em Brasília. A conferência, que este ano trouxe o tema “Democracia e Saúde”, contou com a presença de milhares profissionais de saúde, gestores(as), usuários(as), pesquisadores(as), além de diversos ativistas do Sistema Único de Saúde (SUS) de todo o Brasil.

O presidente do Conasems, Wilames Freire, esteve presente na cerimônia de abertura, que contou com a participação de conselheiros e conselheiras de saúde representantes de movimentos sociais, presidente Conselho Nacional de Saúde (CNS), Fernando Pigatto, o ex-presidente do CNS, Ronald Ferreira, o ministro da saúde, Luiz Henrique Mandetta, o presidente do Conass, Alberto Beltrame, a deputada Carmen Zanotto, a diretora da OPAS, Socorro Gross, ex ministros da saúde e outras autoridades.

Durante seu discurso, o presidente do Conasems reafirmou o apoio da instituição à Conferência e enfatizou a importância da defesa do Sistema Único de Saúde. “Nós estamos aqui trabalhando pelo SUS. O povo brasileiro espera de nós a defesa desse Sistema, que é o maior programa de inclusão social do mundo. O Conasems estará presente nessa conferência firme e forte, somando com os usuários e trabalhadores na defesa dos princípios do SUS e, acima de tudo, construindo propostas para que possamos ter um Sistema Único de Saúde cada vez mais forte”.
A revogação da Emenda Constitucional 95, que congela os gastos em saúde por 20 anos, foi destacada. “A revogação da EC 95 é para ontem. Essa emenda é maléfica para o SUS, nós temos que usar nossa força e poder de agregação para lutarmos pela revogação dessa Emenda”, afirmou Freire.

Pigatto, presidente do CNS, também citou a EC 95. “Somos contra emendas radicais que congelam investimentos em saúde, que acabam com os direitos sociais previdenciários e trabalhistas. Também somos contra propostas de diminuição da cobertura universal do SUS que defende que ele deve ser apenas procedimentos simples voltados para os mais pobres, isso é um retrocesso, significa voltar 40 anos na história da saúde pública do Brasil”.

O presidente do CNS ressaltou que o SUS é uma política de estado e não de governo. “Nós todos temos diferenças e divergências, mas devemos fazer nosso trabalho a partir do diálogo e do trabalho em conjunto. Temos muito o que avançar e precisamos cada vez mais somar forças na defesa do SUS. Temos que celebrar juntos todas as diferenças que existem entre nós. Essa é a verdadeira democracia que pregamos”

Confira o vídeo com a Cerimônia abertura


Leia a reportagem do Conselho Nacional de Saúde sobre a abertura da 16ª CNS

Mais sobre a 8ª + 8 Conferência Nacional de Saúde

A 16ª Conferência Nacional de Saúde (8ª+8) é organizada pelo Conselho Nacional de Saúde (CNS) e realizada pelo Ministério da Saúde (MS). Considerada o maior espaço de participação social do Brasil, o evento reúne mais de cinco mil pessoas de todo o país para propor melhorias ao Sistema Único de Saúde (SUS), sendo um resgate à 8ª Conferência, realizada em 1986, responsável por definir as bases para construção do SUS na Constituição de 1988.

O relatório final do evento vai gerar subsídios para a elaboração do Plano Plurianual 2020- 2023 e do Plano Nacional de Saúde. Com o tema central “Democracia e Saúde”, a conferência tem três eixos temáticos, sendo: Saúde como direito, Consolidação dos princípios do Sistema Único de Saúde (SUS) e Financiamento do Sistema Único de Saúde (SUS).

 

Fonte: Assessoria de Comunicação do CONASEMS.

 

Campanha de Incentivo à Amamentação enfatiza importância do apoio da sociedade

por Comunicação Cosems-AM
em News
Acessos: 250

Foi lançada nesta quarta-feira (31), a Campanha de Incentivo à Amamentação, que marca a Semana Mundial de Amamentação em mais de 170 países. Com o slogan “Incentive a família, alimente a vida”, o destaque neste ano é para a importância do amparo da família, amigos, empresas e profissionais de saúde às mulheres que estão amamentando.

Em defesa da ampliação da amamentação, a representante da Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS/OMS) no Brasil, Socorro Gross, enfatizou que são muitos os obstáculos enfrentados pelas mulheres para conseguirem amamentar seus filhos. “Nos primeiros meses de vida da criança o processo de adaptação das famílias é difícil e é preciso que essa mãe receba todo o apoio e empatia de quem a cerca. Amamentar é um ato natural, mas que ainda não é bem recebido por toda a população se feito em público, além do fato da maioria das empresas e órgãos não disponibilizarem espaços adequados para isso. Amamentação não é responsabilidade exclusiva da mãe, é uma responsabilidade social de todos nós”, finalizou Socorro.

Durante a cerimônia, o Ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, informou que o Ministério vai retomar o inquérito sobre aleitamento materno ainda este ano “porque não reconhecer a amamentação como um indicador de saúde é uma falha que compromete outra série de dados relacionados à saúde das crianças.” Na ocasião, foi assinada portaria que habilita 39 unidades hospitalares como Hospital Amigo da Criança.

O lançamento da Campanha de Incentivo à Amamentação aconteceu na sede da Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS/OMS) e contou também com a presença da representante da Unicef, Florence Bauer, do secretário executivo do Conasems, Mauro Junqueira e do secretário de saúde do DF e representante do Conass, Osnei Okumoto.

 

Fonte: Assessoria de Comunicação do CONASEMS.

 

Governo do Amazonas firma parceria com o Acre na área da saúde para melhorar atendimento médico entre os estados

por Comunicação Cosems-AM
em News
Acessos: 237

O governador do Amazonas assinou, em Rio Branco, um protocolo de intenções e recebeu homenagem do governo acreano
O governador Wilson Lima assinou no fim da tarde de sábado (27/07), em Rio Branco, um protocolo de intenções na área da saúde para que Amazonas e Acre firmem um Acordo de Cooperação Técnica e Assistencial. O objetivo é aprimorar os serviços de saúde ofertados aos usuários dos dois estados, por meio do Sistema Único de Saúde (SUS), e melhorar a prestação mútua dos atendimentos de Média e Alta Complexidade Ambulatorial e Hospitalar.
 
“É algo que acontece espontaneamente, porque os pacientes de Boca do Acre naturalmente se deslocam aqui para Rio Branco, da mesma forma que pacientes aqui do Acre estão se deslocando para Manaus, para realização de alguns procedimentos de alta complexidade. O que nós estamos fazendo agora é regulando, identificando de que forma os estados podem melhor aproveitar isso e de que forma podemos dividir os recursos”, disse Wilson Lima, durante a assinatura do protocolo na central administrativa do Governo do Acre montada na Expoacre, a maior feira de agronegócio do estado.
 
Os secretários de Saúde dos dois estados também assinaram o protocolo. As secretarias da área já trabalham em parceria para que daqui a seis meses possam ter ideia de quanto cada estado gasta em atendimentos aos pacientes que chegam dos estados vizinhos e identificar soluções para as necessidades. Amazonas e Acre vão levantar os principais procedimentos realizados, ambulatoriais e hospitalares, para que possam, junto ao Governo Federal, buscar recursos e novos investimentos.
 
“Esse termo de cooperação pressupõe duas fases de trabalho. A primeira é estimar um conjunto de necessidades, e o segundo momento é fazer uma estimativa financeira dos custos para que ninguém saia perdendo. A gente precisa dar as mãos para enfrentar os desafios e oferecer serviços de qualidade para a população”, afirmou o secretário estadual de Saúde do Amazonas, Rodrigo Tobias.
 
A dona de casa Albaniza Noronha Campos, que cruzou a divisa dos dois estados nesta sexta-feira (26/07), ficou feliz ao saber da parceria entre Amazonas e Acre.
 
“A gente faz todos os exames de rotina, marca e faz. Fazemos esse trajeto todos os anos. Para Manaus teríamos que ir de avião. Aqui não, a gente vai de táxi, e o custo é menor”, explicou ela.
 
A proximidade de Boca do Acre com Rio Branco, distantes 224 quilômetros, faz com que os amazonenses busquem assistência médica e hospitalar na capital acreana. Além da população de Boca do Acre, moradores de Ipixuna, Pauini, Envira e Guajará também recorrem ao sistema de saúde do Governo do Acre.
 
“Todos sabemos que fazer saúde na Amazônia é muito complexo, e a parceria é o caminho para que possamos aperfeiçoar o atendimento. Os amazonenses são atendidos no Acre, por meio do Sistema de Regulação do SUS (Sisreg) e, em contrapartida, podemos oferecer serviços de alta complexidade de que o Acre ainda não dispõe. É uma via de mão dupla. Ninguém perde”, disse o secretário executivo adjunto de Atenção Especializada do Interior da Secretaria de Saúde do Amazonas (Susam), Cassio Roberto do Espírito Santo.
 
Para o governador do Acre, Gladson Cameli, essa é uma das variadas parcerias que os estados vão firmar para melhorar o atendimento às populações e desenvolver a região da divisa com Amazonas e Rondônia.
 
“Unindo as nossas forças, falando uma linguagem única, tudo sai mais barato. E essa é a nossa ideia, fazer essas parcerias não somente na área de saúde, mas em todas as áreas possíveis, como segurança pública e agropecuária”, afirmou o dirigente acreano.

 


 

Fonte: Assessoria de Comunicação do Estado do AM.