Cancelamento do VIII Congresso de Secretários Municipais de Saúde do Amazonas

por malucosems
em News
Acessos: 100

O Conselho das Secretarias Municipais de Saúde do Amazonas vem a público comunicar que o VIII Congresso do Cosems-Am, que seria realizado em Manaus, entre os dias 30, 31 e 01 de abril, está cancelado!

Uma nova data deverá ser divulgada posteriormente. A decisão foi tomada em razão das orientações do Ministério da Saúde dadas na última sexta-feira (13), em reunião conjunta com gestores estaduais e municipais de saúde, que trata do cancelamento de eventos com grande participação de pessoas em razão da epidemia do novo coronavírus (Covid-19).

 

 

 

Fonte: Assessoria de Comunicação do Cosems-AM.

INSCRIÇÕES ABERTAS PARA O VIII CONGRESSO DE SECRETÁRIOS MUNICIPAIS DE SAÚDE DO AMAZONAS

por Comunicação Cosems-AM
em News
Acessos: 225

 


O VIII Congresso de Secretários Municipais de Saúde do Amazonas promovido pelo Conselho de Secretários Municipais de Saúde do Estado do Amazonas – COSEMS/AM acontecerá em Manaus no período de 30 de Março à 01 de Abril de 2020.

O Congresso tem como tema “O Novo Financiamento da Atenção Básica e seu Impacto nos Municípios do Amazonas”, e conta também com a III MOSTRA AMAZONAS AQUI TEM SUS. A Comissão Organizadora está preparando um grande evento que possibilite promover debates, reflexões e encaminhamentos que envolvam a troca de experiências, diálogo e comunicação entre os 62 municípios do Amazonas.  

Inscrições Aqui!

 

Fonte: Assessoria de Comunicação do Cosems-AM.

 

Cosems-AM realizará III Mostra Amazonas Aqui tem SUS

por Comunicação Cosems-AM
em News
Acessos: 192

 

O Cosems-AM realizará III Mostra Amazonas Aqui tem SUS  no  VIII CONGRESSO DE SECRETÁRIOS MUNICIPAIS DE SAÚDE DO AMAZONAS, que acontecerá no período de 30 de Março à 01 de Abril de 2020, no Hotel Comfort Manaus- AM.

 

O objetivo da A III Mostra Amazonas Aqui Tem SUS é de propiciar o compartilhamento de experiências bem-sucedidas no âmbito do SUS; estimular, fortalecer e divulgar as ações de municípios que inovam nas soluções visando a garantia do direito à saúde; dar visibilidade às práticas de saúde na abrangência da gestão local, segundo a realidade dos territórios; promover um espaço para a troca de experiências e reflexões sobre a gestão e organização de serviços de saúde e oportunizar o fortalecimento estratégico e aprimoramento do Sistema Único de Saúde.

 

PRAZOS

27 de fevereiro de 2020 - Publicação do Regulamento da III Mostra Amazonas Aqui tem SUS

23 de Março de 2020 – Prazo limite para inscrição dos trabalhos na III Mostra Amazonas Aqui tem SUS.

01 de abril de 2020 – Apresentação dos trabalhos e premiação dos vencedores na III Mostra Amazonas Aqui tem SUS.

08 de maio de 2020 – Prazo limite para inscrição, dos trabalhos vencedores da etapa Estadual, na 17º Mostra Brasil Aqui Tem SUS – Conasems.

 

PREMIAÇÕES DAS EXPERIÊNCIAS

Serão quatro (4) trabalhos selecionados para a Mostra Nacional Brasil Aqui Tem SUS, e terão como prêmios:

- Certificados de Participação para todos os inscritos. Autores e Coautores;

- Certificado de ganhador da III Mostra Amazonas Aqui Tem SUS para os quatro (4) primeiros colocados;

- Uma passagem aérea (para o autor de cada uma das 6 experiências vencedoras) ida e volta para Brasília para participar da Mostra Nacional Brasil Aqui Tem SUS;

- Publicação das experiências em Sites parceiros;

- Isenção na taxa de inscrição do XXXVI Congresso Nacional de Secretarias Municipais de Saúde no período de 8 a 10 de julho de 2020, em Campo Grande/MS.

 

REGULAMENTO MOSTRA AMAZONAS AQUI TEM SUS 

Clique Aqui.

 

 

Fonte: Assessoria de Comunicação do Cosems-AM.

 

Coronavírus Atualização das referências e procedimentos em relação ao COVID 19

por Comunicação Cosems-AM
em News
Acessos: 209

 

Diante da Emergência em Saúde Pública de Importância Nacional (ESPIN) por doença respiratória causada pelo novo coronavírus (2019-nCoV), é importante que os serviços de saúde e seus trabalhadores, as equipes de vigilância dos estados e municípios fiquem alerta aos casos de pessoas com sintomatologia respiratória e que apresentam histórico de viagens para áreas de transmissão local nos últimos 14 dias.

O atendimento a pessoas com suspeita de infecção pelo COVID-19 deve seguir o Procedimento Operacional Padronizado (POP) preconizado pelo Ministério da Saúde. Considerando-se as recomendações da Organização Mundial de Saúde (OMS), profissionais de saúde devem utilizar medidas de precaução padrão, de contato e de gotículas, e para algumas situações, medidas de precaução por aerossóis. As formas de transmissão do COVID 19 são semelhantes à da gripe. 


Casos suspeitos

Para um correto manejo clínico desde o contato inicial com os serviços de saúde, é preciso considerar e diferenciar cada caso. As definições operacionais estão descritas no Protocolo de Manejo Clínico para o coronavírus (2019-nCoV).

Definições importantes para casos suspeitos:

Situação 1: Febre E pelo menos um sinal ou sintoma respiratório (tosse, dificuldade para respirar, batimento das asas nasais entre outros) E histórico de viagem para área com transmissão local, de acordo com a OMS, nos últimos 14 dias anteriores ao aparecimento dos sinais ou sintomas; OU

Situação 2: Febre E pelo menos um sinal ou sintoma respiratório (tosse, dificuldade para respirar, batimento das asas nasais entre outros) E histórico de contato próximo de caso suspeito para o coronavírus (2019-nCoV), nos últimos 14 dias anteriores ao aparecimento dos sinais ou sintomas; OU

Situação 3: Febre OU pelo menos um sinal ou sintoma respiratório (tosse, dificuldade para respirar, batimento das asas nasais entre outros) E contato próximo de caso confirmado de coronavírus (2019-nCoV) em laboratório, nos últimos 14 dias anteriores ao aparecimento dos sinais ou sintomas.

Informações importantes

– Não existe necessidade de paramentação fora do ambiente hospitalar. 

– Os atendimentos nas UBS devem ser realizados com máscara cirúrgica, exceto se for colher material de orofaringe (necessário máscara N95).

– Não existe necessidade de uso de máscara cirúrgica fora do serviço de saúde.

As  orientações, conforme cada etapa de atendimento, também estão descritas no  Boletim Epidemiológico 03no tópico Medidas de prevenção e controle para atendimento de casos suspeitos ou confirmados.

 

 As informações estão sendo atualizadas pelo Ministério da Saúde no endereço – https://www.saude.gov.br/saude-de-a-z/coronavirus

 

Fonte: Assessoria de Comunicação do Conasems.

 

Gestores da Saúde debatem novas regras de financiamento do Governo Federal

por Comunicação Cosems-AM
em News
Acessos: 676


 

Orientar os gestores da Saúde, rediscutir as regras transitórias, facilitar o acesso para cadastro das populações dos municípios no Ministério da Saúde (MS), inclusive na questão dos povos indígenas. Esses foram alguns pontos levantados por gestores da Saúde durante o 4º Fórum Amazonense de Financiamento em Saúde, evento organizado pelo Conselho de Secretários Municipais de Saúde do Amazonas (COSEMS-AM) nesta terça-feira (18/02).

 

De acordo com o presidente do COSEMS-AM, Januário Neto, o evento teve o objetivo de discutir a Portaria 2979/2019, do Governo Federal, que definiu o regramento do programa “Previne Brasil”. O novo modelo muda o financiamento da Atenção Básica à Saúde, mudando o Piso de Atenção Básica (PAB) Fixo e Variável para quatro linhas de financiamento: capitação ponderada, pagamento por desempenho, incentivo às ações estratégicas e o provimento de profissionais.

 

“O problema é que o modelo de financiamento proposto ainda está com os cálculos muito obscuros, por isso decidimos promover o evento com a participação do Ministério da Saúde, Confederação Nacional dos Municípios, Conselho Nacional de Secretários Municipais de Saúde (Conasems), Secretaria de Estado de Saúde (Susam), prefeitos, secretários de saúde, vereadores e gestores da Saúde no Amazonas”, explicou Januário Neto.

 

Durante as discussões, foram apresentadas algumas dúvidas com relação ao processo de treinamento dos gestores de Saúde no Amazonas, o que levantou a necessidade dos municípios fazerem uma imersão com suas das equipes no modo de atendimento e de tratamento, sobretudo no acompanhamento do sistema de informação da Atenção Básica.

 

Segundo Januário Neto, outro ponto conflitante foi a questão do custeio da Unidades Básicas de Saúde (UBSs) Fluviais. “É necessário que o credenciamento das equipes seja automático. Temos equipes com mais de sete meses aguardando o credenciamento do Ministério da Saúde e fica muito pesado para os municípios fazerem esse tipo de investimentos sozinhos”, alertou o presidente.

 

Diante do problema, foi cobrado do Estado o cofinanciamento da Atenção Básica, uma vez que esse financiamento deve ser feito de forma tripartite (Governo Federal, Governo Estadual e Município) e o Estado não pode se eximir dessa participação. “O que vemos hoje são os municípios se desdobrando para garantir saúde de qualidade para a população”, argumentou Januário.

 

MUNICÍPIOS

 

vem trabalhando nesse sentido de mudar. “Precisamos mudar o financiamento da Saúde de forma que o gestor local tenha maior autonomia. O modelo que estamos discutindo traz justamente isso: uma autonomia maior para o gestor ficar livre para definir a composição da equipe dele, uma equipe multiprofissional, local e montada de acordo com as necessidades do município”. A afirmação é do diretor da Confederação Nacional do Municípios (CNM), Denilson Magalhães, que participou das discussões do 4º Fórum Amazonense de Financiamento em Saúde.

 

Na opinião de Magalhães, só resolver o problema da atenção básica não resolve o problema da Saúde. “Nós queremos também avançar na discussão do modelo de financiamento da média e alta complexidade hospitalar, que é outro gargalo que a gente sofre, principalmente aqui na região Norte, quando a gente precisa transferir pacientes que necessitam de cuidados especializados e de cuidados hospitalares”, destacou.

 

O diretor ressaltou que a CNM está ciente das dificuldades enfrentadas pelos municípios na Amazônia e afirmou que a Confederação também busca o financiamento diferenciado para a região, por conta da operacionalização das ações, dos custos de deslocamentos e da logística diferenciada para os gestores locais de Saúde. “É esse tratamento diferenciado e mais justo que a gente busca junto ao Governo Federal”, completou.

 

 

 

Fonte: Assessoria de Comunicação do Cosems-AM.

 

Cosems AM promove IV Fórum Amazonense de Financiamento em Saúde

por Comunicação Cosems-AM
em News
Acessos: 335

 


O Novo Financiamento da Atenção Básica foi o tema do IV Fórum Amazonense de Financiamento em Saúde, realizado pelo Conselho de Secretários Municipais de Saúde COSEMS- AM, com o apoio da Associação Amazonense de municípios – AAM, nesta terça (18), no Hotel Intercity Manaus.


Estiveram presentes 250 participantes, entre eles Secretários de Saúde e Prefeitos, além de inúmeros representantes que atuam nas secretarias de saúde dos municípios e do Estado.

O evento debateu sobre a Portaria nº 2979 de 12 de novembro de 2019, que institui o Programa Previne Brasil, onde estabelece o novo Modelo de Financiamento de custeio da Atenção Primária à Saúde no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS), por meio da alteração da Portaria de Consolidação nº 6/GM/MS, de 28 de setembro de 2017 e portarias derivadas, e esclareceu dúvidas acerca deste novo modelo de financiamento da Atenção Primária à Saúde.


Participaram das mesas do Fórum: Dirceu Klitzke do Ministério da Saúde/ SAPS; Denilson  Magalhães - Confederação Nacional de Municípios – CNM; Diogo Demarchi Silva - Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde – CONASEMS; Januário Carneiro Neto, Secretário de Saúde de Tapauá e Presidente do COSEMS-AM, e representando a Secretaria de Saúde do Estado, Waldiléia Caldas e Rita Cristiane Vasconcelos.

 

Fonte: Assessoria de Comunicação do Cosems-AM.