PANDORA: ESTRATÉGIA UNIFICADA DE PREVENÇÃO AO DIABETICO

por malucosems
em News
Acessos: 165

 

 

APRESENTAÇÃO
No município de Nova Olinda do Norte, o projeto pandora foi idealizado em 2018, após uma analise do aumento de casos de amputação de membros devido a complicações do pé diabético em usuários da UBS Raimundo Rosário de Melo referenciados para o NASF. Durante o matriciamento sobre o contexto em questão, a equipe sugeriu uma intervenção interdisciplinar através de um planejamento prévio de estratégias preventivas direcionadas para os pacientes diabéticos priorizando aqueles que não aceitam sua condição de saúde e muitas vezes recusam as medicações e as restrições alimentares. São esses pacientes que futuramente poderiam apresentar alguma complicação mais grave e possivelmente irreversível como a amputação, por tal motivo a conscientização da doença é hoje uma importante ferramenta no tratamento da diabetes e na prevenção de suas complicações ampliando a compreensão da doença e empoderando o diabético a assumir seu tratamento de forma plena, evitando as descompensações agudas e crônicas.

OBJETIVOS:
Reduzir o numero de complicações em pacientes diabéticos ocasionadas pelo falta de adesão ao tratamento enfatizando a prevenção ao pé diabético através da visita domiciliar para avaliação dos pés e orientações sobre alimentação saudável, atividade física e o tratamento medicamentoso adequado.

METODOLOGIA:
Foram pactuadas as funções de cada profissional desde o levantamento, capacitação, avaliação dos pés em domicilio, atendimento clinico e avaliação dos resultados. Os ACS’s realizaram o levantamento dos pacientes dividindo-os em grupos conforme solicitado e paralelamente o NASF passou por uma capacitação para identificar sinais de comprometimento do pé diabético. O território somatizou 94 pacientes, 44 eram pacientes resistentes. A técnica de enfermagem fez o teste capilar antes das visitas. Esses pacientes foram divididos entre o NASF assim cada mês o paciente era reavaliado e orientado por um profissional distinto e referenciados para a ESF. O segundo grupo recebeu a visita e foi monitorado durante seu acompanhamento pela ESF.

RESULTADOS:
A busca ativa em domicilio pelos pacientes resistentes resultou na sensibilização de 73% de pacientes que após receber a visita dos profissionais iniciaram o acompanhamento com a ESF, desse grupo mais de 95% estavam usando a medicação errada e não mantinham hábitos saudáveis de atividade física e alimentação. No total de todos os pacientes foram encontradas má higiene, micose nas unhas, deformidades ósseas, ressecamento da pele, calosidades e alteração da sensibilidade. O mais preocupante foi à falta de apoio das famílias em mais de 70% dos casos. A contribuição do projeto foi fundamental e para a manutenção e ampliação dos resultados, as avaliações são realizadas conforme a necessidade sinalizada pela ESF.

CONCLUSÃO:
Os profissionais da Atenção Básica do Município de Nova Olinda do Norte, seja da ESF ou do NASF-AB demonstraram que a união em prol a um objetivo maior vai além das especialidades de cada um. Todos os profissionais executaram com maestria suas funções desde o levantamento de dados ate a avaliação dos pés de cada paciente. Evidenciando que é possível ter resolutividade quando há um planejamento prévio da gestão do cuidado integral aos pacientes com doenças crônicas não transmissíveis.

 

AUTORA PRINCIPAL
Liliam Rafaelle Souza da Silva

OUTROS AUTORES:
Marinelza Ferreira Lopes
Karlen Fonseca Vinhote
Ayla Danielle Ferreira Leal
Stefano Peixoto Oliva
Nayelle Ferreira Leal

 

 Fonte: Assessoria de Comunicação do COSEMS-AM